The Crown

The Crown causou tumulto antes mesmo do início das filmagens. Afinal, a sociedade pode se modernizar, mas a vida da família real britânica segue despertando curiosidade no público. Porém, há outro motivo para tamanho interesse: a produção custou US$100 milhões, é um investimento ambicioso da Netflix, que lhe rendeu o título de "a série mais cara" do serviço de streaming.


Tudo isso para acompanhar os primeiros anos do reinado de Elizabeth II. E uma coisa é certa: houve um grande trabalho de pesquisa na produção, nos como espectadores conseguimos ser transportados para o Reino Unido dos anos 1950.

Grande parte desse mérito vai para a bela composição estética da atração, os detalhes na recriação de cenários da época são impressionantes e merecem todos os elogios. 

The Crown é a história da Rainha Elizabeth II (Claire Foy) desde o falecimento de seu pai, que, aos 25 anos, precisou assumir a coroa e posteriores decisões tomadas por ela, que afetaram não só a coroa, como a Inglaterra e sua família.

Peter Morgan, o criador da série, teve conseguiu retratar uma mulher jovem, cheia de dúvidas e incertezas, porém forte o suficiente para saber de suas responsabilidades e tomar decisões em razão de seu posto, mesmo que isso pudesse interferir na felicidade e na satisfação pessoal com seus familiares e seu amado.

Além de toda essa maravilhosa história contada também temos a fotografia, as locações e figurinos são impecáveis, com uma quantidade enorme de figurantes para deixar a tela preenchida e ser fiel ao que a história nos conta, e tudo é feito de maneira delicada e atenta aos detalhes.

 Mesmo que cada episódio tenha em média uma hora de duração, é fácil se conectar com a Claire Joy (Lilibeth), pois ela realmente entrou no espírito da personagem, no geral todos fazem um grande trabalho. Vale muito a pena das uma olhadinha nessa série, além de conhecer mais sobre a história poderá se sentir na época.

0 comentários