Artigo | Acabou a série. E agora?

Quando os créditos sobem e você se dá conta de que acabou a série. Quem nunca passou por esse triste momento? Mas calma, fica ligado nesse post que vamos te ajudar nesse período de superação


Segundo Elisabeth Kubler-Ross (1926-2014), psiquiatra, a autora do livro On Death and Dying e pioneira no estudo de preparação para a morte, alguém que experimenta uma perda (e aqui já cabe logo um esclarecimento de que a psicologia não diz apenas morte de pessoas, pode ser de ideias, relacionamentos ou algo de que se tem apego) passa-se por um período conhecido como luto.

Ainda de acordo com a teoria desenvolvida pela psiquiatra suíça, o luto é composto por cinco fases: Negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. Mas antes que o post fique extremamente mórbido, uma vez que nas letras miúdas do contrato aqui do PPS diz para não mexer muito com quem já passou para outro plano, vamos à ideia central dessas famigeradas linhas.

O mundo das séries tem seu luto particular e quem é louco por elas já passou por essas fases quando nosso seriado preferido acaba.  Seja pelo fim da temporada ou quando ela encerra de forma definitiva. Não queremos acreditar, ficamos putos pelo final, depois pedimos que a próxima temporada chegue logo, ficamos tristes porque nos damos conta que ela vai demorar (principalmente as da Netflix) e por fim, aceitamos mesmo que acabou.

É nesse momento que quero chegar, “aceitamos mesmo que acabou”, mas e agora? Eis aqui um momento importante em nossos universos paralelos particulares de cerca de 50 minutos de duração. E como conhecimento não compartilhado é perdido, vou dizer aqui minha experiência, e olha, funciona muito bem, ao menos para mim com três passos simples.

Acredito que esse é um momento em que todos nós meio que estamos passando não apenas com o fim da segunda temporada de Stranger Things, mas também com a ainda extraoficial informação que a terceira só em 2019, e lamba!

  • A primeira coisa é começar logo outra. Superado o luto, que na verdade dura bem pouco, já emendo logo outra, dou nem tempo de ficar remoendo, principalmente por saber que o retorno pode demorar ou em certos casos, nem voltar mais.

  • Para a escolha dessa nova série, geralmente, eu escolho um gênero bem diferente da anterior. Assim não corro o risco de ficar fazendo comparação, além de ser ótimo, pois a chance de achar uma grata surpresa é grande.

  • E por fim, dar aquela maratonada exxxperrta que todos nós gostamos né. Assisto vários episódios na sequência (quando possível, claro, nem sempre dá pra fazer isso), dessa forma vou ficar de luto quando a série que escolhi para superar a perda anterior terminar, aí precisa escolher outra e o looping infinito de todo louco por série está formado.

Afinal, se não for assim, melhor nem começar a assistir nada. Luto por fim de série se supera dessa forma mesmo

0 comentários