Choque de Cultura: o melhor programa de humor brasileiro está no Youtube

Vocês provavelmente já se pegaram na frente da televisão assistindo algum programa de humor que seu amigo, ou algum parente, tenha indicado falando como os personagens são engraçados e a história é muito boa, certo? E, usando meus poderes de mediunidade, vejo que você acabou se decepcionando e perguntando a si mesmo como alguém poderia rir daquela fórmula de fazer humor que não lhe agrada nenhum pouco.


Pois bem, o humor é realmente uma vertente complicada da arte. Não é fácil fazer uma pessoa rir. Ainda mais um grupo considerável. Muita gente se propõe a fazer isso de diferentes formas, alguns agradam, outros nem tanto. O que é completamente normal.

Cada pessoa se sente melhor com um tipo de humor. Tem aquele recheado de bordões como o antigo Zorra Total, que hoje é só Zorra e com varias esquetes de situações cotidianas, tem o humor cheio de estereótipos como o "Vai Que Cola", os inúmeros talk show influenciados pelo sucesso desse tipo de programa nos Estados Unidos da América, o Stand Up que revela vários humoristas, enfim, existe um bocado de formas de fazer humor e um bocado de gente que se identifica com um ou outro formato.

Mesmo com todos esses modelos de programas humorístico estava faltando algo que agradasse o público jovem, os nerds, os mais ligados no cinema, o público aqui do Pausa Para Série estava órfão nessa. Falo que nenhum desses preenchia uma necessidade básica do humor e que é receita infalível para ao menos chamar a atenção de um número considerado de pessoas: identificação.

Ao saber de um programa que fala dos mesmos assuntos pelos quais você se interessa, automaticamente sua curiosidade o leva a tomar conhecimento do tal programa. E foi assim que conhecemos o Choque de Cultura. Um programa semanal no canal Omeleteve que fala sobre cinema, série, de uma jeito peculiar. 

Além do apresentador, Rogerinho do Ingá (Caito Mainier) o Choque conta com três "comentaristas", são eles: Renan (Daniel Furlan), Maurílio dos Anjos (Raul Chequer) e Julinho da Van (Leandro Ramos). Os quatro reunidos fazem os comentários mais nonsense possíveis de motoristas de vans sobre a sétima arte.

O texto é simplesmente espetacular. A leveza como tudo vai se encaixando te faz querer sempre mais um. Os comentários passam a fazer parte do seu dia a dia, por exemplo eu não falo mais "pensa antes de falar", agora é "ouve antes o que você tá falando". Memes do quarteto não faltam. O único lado ruim de Choque de Cultura é que acaba. Mas até nisso tem um lado bom, você quer rever os episódios várias vezes e nunca se tornam cansativos.


Mas calma lá, esse também não é o tipo de humor que agrada a gregos e troianos. Nós que nos identificamos com a linguagem do Choque adoramos, achamos o máximo, o melhor programa de humor, mas quem não consegue contextualizar toda a situação certamente vai achar tudo aquilo que achamos maravilhoso uma porcaria.

De toda forma, o PPS indica, mas indica mesmo, de coração, e riso solto, o Choque de Cultura. É só digitar ai no youtube o nome do programa e você poderá assistir quando quiser. Sinal de que tudo mudou, não precisamos mais esperar os Trapalhões no domingo, ou o Zorra no sábado, o melhor programa de humor da atualidade está disponível a qualquer hora e com uma linguagem de quem domina essa mudança.

0 comentários