Noble, My Love

Depois de muito procurar um filme de comédia romântica, eu acabei chegando em Noble, My Love. Decido dar uma chance, achando que a série poderia me decepcionar no primeiro episódio, mas confesso para vocês que acabei me viciando e dormindo tarde da noite para poder terminar logo esse romance coreano, mesmo sabendo que não haveria outra temporada.


Sinopose: Lee Kang Hoon (Sung Hoon) é o presidente de uma das maiores empresas do mundo, mas ele ainda tem algumas coisas para aprender sobre as pessoas. Depois que ele escapou por pouco de um esquema de sequestro, Kang Hoo recebe um curso intensivo sobre paixão, e acaba encontrando um porto seguro na veterinária chamada Yoon Seo (Kim Jae Kyung). Mas será que o CEO será capaz de reconhecer o que é bondade?

Não terminei a série decepcionada, mas acabei encontrando várias semelhanças com o filme norte-americano, Cinquenta Tons de Cinza. Isso mesmo, não leu errado. E se viu a série e não notou, vamos ficar mais atentos aí! Além de algumas cenas parecerem muito com o enredo do filme americano, o controle que ele tenta manter sobre a vida e sobre ela me remete ao casal Gray. 

Vou confessar para vocês que assistir dorama (drama japonês, também nomeado como dorama ou j-drama) vicia, e ainda mais se tem Sung Hoon. Nessa série ele interpreta um cara insensível e dominador, se bem que a maioria dos filmes e séries coreanas que vejo o ator principal faz papel de uma galã rico, se não podre de rico, literalmente.

Noble, My Love contém 20 episódios de apenas 15 minutos, passa bem rápido, só não terminei no mesmo dia por motivos de: work. Se não fosse isso teria acabado. Noble, assim como Christian Grey podem ser apenas personagens fictícios, mas retratam muitas histórias reais de homens dominadores.

0 comentários