Precisamos falar sobre The End of the F**king World

Longe de mim querer problematizar alguma coisa, muitas pessoas não gostam disso, mas convenhamos que algumas atitudes devem ser problematizadas pois os problemas são reais e merecem ser escancarados.


O fato é que a série da Netflix "The End of the F**King World" teve bastante destaque nos últimos dias. Pessoas falando de como o amor entre os protagonistas é bonito, como eles são corajosos e como eles vivem uma vida de altas aventuras sem parecer que estão dentro de um filme da Sessão da Tarde.


Assim que saiu a série angariou uma porrada de fãs ávidos pela história vivida por dois adolescentes um tanto quanto rebeldes, James (Alex Lawter) e Alyssa (Jessica Barden), saem fugidos das casas de seus respectivos pais para viverem uma intensa aventura pelos EUA em busca do pai de Alyssa, e obviamente vão acumulando confusões e delitos por onde passam.

Um assassinato, roubos, furtos, os dois adolescentes não populares do colégio se tornam dois delinquentes procurados pela polícia como um copo d'água no calor de meio dia no deserto do Saara.

Pois bem, o desenrolar da série você pode encontrar na Netflix. Eu vim aqui para dizer o quão perigoso é romantizar a história de dois adolescentes que passam por sérios problemas psicológicos e passarem a ser referência de casal para muitos e muitos jovens que se encontram em situações constrangedoras parecidas com as que Alyssa e James aparentam estar no início da série.


O enredo te prende. Os dois são completamente sem noção alguma. Porém, há de ser dito que o casal não é exemplo. Não há história de amor. Há apenas dois jovens com sérios problemas psicológicos que se reconhecem um no outro e passam a viver em uma bolha criada pela mente deles durante os duros anos de convívio pré fuga de casa.

Cuidado. Romantizar situações como essas, que são até certo ponto comum devido a reclusão de jovens por N motivos não é legal. A ideia é boa, os reflexos dela para a galera mais jovem não. 

A Netflix mandou mal nessa. Ainda assim, por conta dos dois serem privados da noção básica de um ser humano, a série vai pelo mesmo caminho. O final da série... Aliás, que final? Cadê o final?

0 comentários