[CRÍTICA] Deadpool 2

Fala aí galera que se encontra neste momento na fila do posto de gasolina, tudo bem? Aqui vai um spoiler: bem na sua vez a bomba de gasosa estará vazia. Seja prudente e percorra os 20 km que separam sua casa do trabalho com os seus pés calçados em um bom tênis.

Hoje estou aqui para escrever sobre um dos filmes que tiveram o maior hype da história, sim estou falando de Deadpool 2. A sequência do (anti)herói tagarela da Marvel produzida pela Fox e estrelada mais uma vez por um cara que abraçou a causa: Ryan Renolds.


Vamos do começo. Deadpool era até pouquíssimo tempo atrás um personagem desconhecido do grande público. A única aparição de Wade Wilson havia sido em X-Men Origins: Wolverine. E foi um desastre completo. O modo como Deadpool foi apresentado, a cena que o envolvia, a interpretação dada pelo estúdio, tudo havia sido muito mal feito e o resultado foi trágico.

A participação no filme do Wolverine se deu em 2009, cinco anos depois a ressurreição: Deadpool ganhou um filme próprio que contaria sua origem e apresentaria ao público um novo modo de filmes de heróis. Mais sangue, palavreado chulo, piadas pesadas e um ator principal que participaria de toda a criação do longa.

Deu certo. A recepção foi ótima. E logo foi anunciado a continuação da produção com Deadpool 2. Que é o motivo pelo qual estou escrevendo.


Todo mundo já imaginava que a produção de Deadpool 2 seria maior do que a anterior. Mais nomes, mais brigas, mais mutantes liberados pelos estúdios, mais ação, mas ninguém sabia qual seria a história que motivaria o mercenário a sair arrancando cabeças por aí.

Deadpool agora conta com algumas companhias, além do Colussos que já havia aparecido no primeiro e da sua namorada Vanessa, interpretada pela brasileira Morena Baccarim, chupa mundo, aqui é Brasil!

Dessa vez o mercenário ganhou a importante adição do Cable, um dos personagens mais importantes das histórias de Deadpool. Para resumir o cara é meio máquina com uma arma super potente e consegue a tecnologia de viajar no tempo. 

Apesar de, na teoria, ser um um personagem extremamente forte e praticamente imbatível. A interpretação de Josh Brolin não passa tanta segurança. As piadas também não combinam tanto com o Cable. Ou seja, não rolou um encaixe entre filme e personagem tão grande assim. 

Outra importante adição ao elenco de Deadpool é a entrada da mutante Dominó (Zazie Beetz). A moça tem como superpoder a sorte. Então os acontecimentos estranhos que vão surgindo enquanto ela está em cena, batem com as atrocidades que o filme tem como ponto forte. 



Além dos parceiros do anti-herói, há uma aparição de um vilão dos X-Men mais subaproveitados nas telonas e alguns alívios cômicos como o taxista indiano que já estava no primeiro filme e volta mais doidão nesse.

Deadpool 2 também proporciona algumas risadas com participações especiais inusitadas em frames tão rápidos que se você piscar perde. Na verdade são piadas construídas no roteiro e a imagem faz com que ela ganhe contornos de graça. 

Algumas outras respostas estavam por vir neste filme. Deadpool tem condições de manter uma franquia? Honestamente, é difícil imaginar muitos filmes do tagarela. A aceitação gigantesca ao primeiro se deu ao fato de que tudo o que víamos na tela era novidade. Aquele modo de fazer filme para o público das revistas em quadrinhos era completamente diferente e divertido.


Isso quer dizer que o segundo filme é ruim? Não. Mas também não é nada de imperdível. O filme tenta ser grande, porém parece ser um método refém das paródias de outros longas. As piadas parecem ser repetidas e o roteiro, bem, o não devemos exigir muita coisa do roteiro, mas ainda assim dava para fazer algo melhor.

"Ah, Gustavo, eu ri bastante. Você tá muito ranzinza." 

Talvez você esteja certo. Mas me incomoda um pouco essa coisa dos estúdios estarem fazendo fã service a qualquer custo. Essa coisa de Deadpool ser uma franquia não me agrada tanto. Assim como a aposta em filmes solos, de outros personagens como Gambit e Coringa não faz o menor sentido.

Concluindo, Deadpool 2 serve para dar algumas risadas, em alguns momentos você se diverte de verdade. Porem a continuação do mercenário se perde demais durante as duas horas de tela e fica aquém do primeiro filme. Sendo assim, Deadpool fica devendo até para quem não esperava muito do longa.

Lançamento: 17 de maio de 2018 (2h)
Direção: David Leitch
Gênero: Ficção / Fantasia 
Nacionalidade: EUA
Nota: 🎬 🎬 🎬 

2 comentários

  1. Já é a segunda resenha que confiro do filme e ambas concluem a mesma coisa: Deadpool 2 foi mais do mesmo. Talvez a fórmula seguida pelo anti-heróis funcionasse apenas para um filme.

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Desfruto muito deste gênero de filmes, sempre me chamam a atenção pela historia. Adorei a participação de Josh Brolin, é um ator multifacetado, seu papel de Cable é muito divertido e interessante. O vi também em Homens de Coragem, é muito bom. É interessante ver um filme que está baseado em fatos reais, acho que são as melhores historias, porque não necessita da ficção para fazer uma boa produção. Gostei muito de Homens de Coragem, não conhecia a história e realmente gostei. A história é impactante, sempre falei que a realidade supera a ficção, acho que é um dos melhores filmes de Jennifer Connelly . Super recomendo. É impossível não se deixar levar pelo ritmo da historia, o elenco fez possível a empatia com os seus personagens em cada uma das situações.

    ResponderExcluir