[CRÍTICA] Vingadores Guerra Infinita

Faaaala galera que se emocionou com a reconciliação das duas Coreias, como vocês estão? Eu tô bem, graças a Odin, e finalmente fui assistir Vingadores: Guerra Infinita.

Para quem andava por Saturno e não sabe do que se trata, eu explico: Vingadores: Guerra Infinita é o mais novo longa que reúne, quase, todos os heróis já apresentados no UCM (Universo Cinematográfico da Marvel) para combater a grande ameaça preparada pelo estúdio há 10 anos, o vilão Thanos. 


Pois bem, Thanos quer por que quer possuir as seis joias do infinito para aniquilar metade da população e, segundo o próprio, tornar o universo equilibrado. Ou seja, não deixar que as pessoas passem fome, entre outras mazelas bem conhecidas.

Explicado o contexto, vamos ao achismo. Esse foi o grande filme da Marvel. Imagina o trabalho que não deu juntar todos os heróis em um só longa. Sem falar na grana que isso custa também, e o tempo que demanda. Toda essa reunião foi feita com maestria. Não teve aquela coisa de focar só no Homem de Ferro, como foi feito em Era de Ultron.

Outro ponto positivo é que o filme não foi uma "viúva" de Guerra Civil. O que isso significa? Que os ocorridos do terceiro filme do Capitão América estavam ali presentes, havia a necessidade de tocar no assunto, mas é bola para frente. Nada de ficar toda hora tocando nesse assunto e não deixar as coisas desenrolarem. 

 

Tinha muito assunto para falar nesse filme. Muito assunto. Por isso o tempo de tela tão longo: praticamente três horas de duração. E ficou de bom tamanho. Não fica cansativo como em certos casos, havia a necessidade de colocar em prática diálogos explicativos, mas eles foram curtos e passaram a mensagem que tinham para passar. Mais uma bola dentro dos diretores.

Uma das coisas que mais gostei na produção foi o desenvolvimento de Thor. Se em Ragnarok limitaram o Deus do Trovão a um mero piadista bom de porrada, dessa vez o filho de Odin está sinistro. Ganha uma nova arma e fica incontrolável. Um verdadeiro deus. Que é o que se espera de um cara que consegue sair no murro com o Hulk.

Por falar no homem verde, ele talvez tenha sido um dos poucos poréns da produção. Lhe pouparei dos detalhes mas há um pequeno problema com Bruce Banner e o Hulk. Só que esse problema não é desenvolvido. Então fica aquela coisa de que a gente sabe o que acontece mas não sabe o que acontece. Sacou? Não dá para entender a situação já que ela fica bem adormecida lá no subconsciente.

A maior expectativa para o filme, sem dúvidas, estava no vilão. Muito se falava de Thanos pelo fato do pai da Gamora (aliás, essa relação está simplesmente espetacular, que coisa linda que conseguiram passar com esses dois) ser um ser extremamente poderoso e que, caso possuísse as joias do infinito poderia acabar com metade da Galáxia com apenas um estalar de dedos. 


Pois Thanos é um vilão que impõe respeito. Além de ser muito grande, as cenas de ação deixam claro que o cara é praticamente imbatível. A vantagem dele para os heróis é absurda, mesmo quando eles se juntam. Além de promover bons diálogos, Thanos consegue passar com clareza suas ideias e a maldade presentes em sua mente.

Não bastasse essas atribuições, o vilão ainda consegue utilizar com maestria as joias do infinito. Dando uma nova percepção sobre o poder que elas possuem. Parece que elas foram subutilizadas ate encontrar alguém que consegue potencializar as suas utilidades, o que da ainda mais dramaticidade aos feitos do mau caráter.

O filme tem muitos acertos, o principal deles é o fato de ser surpreendente. Para quem ainda não viu, fica aqui meu conselho: faça esforço máximo para não pescar nenhum spoiler. Vai valer a pena. 
Vingadores: Guerra Infinita é um bom filme. Com seus pequenos erros, mas é muito interessante ver como tudo o que a Marvel faz se encaixa de forma perfeita.



Para quem achou que esse seria um "fim" para o UCM ledo engano, Vingadores: Guerra Infinita deixou várias pulgas atrás da orelha e só fizeram crescer ainda mais o interesse pelos filmes daquela que domina o mundo quando o assunto é filmes de heróis. 

Lançamento: 26 de abril de 2018
Direção: Joe Russo / Billy Russo
Gênero: Aventura / Ação 
Nacionalidade: EUA
Nota: 🎬 🎬 🎬 🎬

2 comentários