Conheça o genial Donald Glover

Olá para você que já está parado na frente da tevê faz uma semana por causa da Copa do Mundo e ainda não conseguiu sair sequer para comprar um pão com medo de perder um gol do jogaço entre Arábia Saudita e Irã, como vai? Daqui eu vou bem, obrigado por perguntar.


Se você entrou na internet uma vez nos últimos meses, certamente já ouviu falar no rapper Childish Gambino e no seu já consagrado hit "This is America", onde o cantor faz diversas referências sociais sobre a luta dos negros estadunidenses com uma letra muito forte e um clipe que é uma obra prima.


Childish na verdade se chama Donald Glover e o cidadão não restringe seu trabalho a compor e cantar rap. O xará do presidente dos Estados Unidos é também ator, produtor executivo, roteirista, diretor e criador de uma série tão genial quanto o clipe que o fez se tornar uma febre no mundo todo.

Falo de "Atlanta", uma série que acompanha o próprio Donald Glover vivendo Earn, o produtor musical que toma conta da carreira do rapper Paper Boi (Brian Tyree Henry), que por acaso ou não também é seu primo, muito polêmico, se envolve em tiroteio, brigas com outros famosos, prisão, dentre outras atividades ilícitas durante sua careira.


Earn também tem uma filha com Wanessa (Zazie Beetz), uma garota mais descolada, que se deu melhor na vida e os dois desenvolvem uma relação em que o homem depende muito mais da mulher do que o contrário. Esqueça os contos de fadas em que os príncipes salvam as donzelas, aqui acontece o oposto.



O roteiro é uma coisa absurdamente genial. As críticas que são feitas, a forma como são abordados os temas propostos pela séria é para lá de incrível. Por mais que o tema debatido seja pesado, estamos falando de racismo, o conteúdo leve, didático, te coloca na pele de quem sofre com situações como as que os protagonistas acabam passando.

Alguns episódios da série me marcaram bastante. Não à toa, terminei a série muito rápido, talvez tenha batido o meu recorde pessoal. Mas eu queria destacar um em especial, mais precisamente o sétimo dessa temporada.

Nela, Papper Boi é convidado para um "talk show" por conta de uma postagem no Twitter considerada homofóbica. A partir daí o desenrolar foi uma das melhores coisas que vi recentemente. Você fica embasbacado durante todo o episódio com a quantidade de situações hilárias e absurdas que vão se desenrolando sob o pano de fundo dos preconceitos que vemos todos os dias.


Para situar os amigos, além de falar muito sobre a cena rapper americana, a história se passa em uma cidade que tem uma série de eventos que tratam de racismo e outras causas sociais. 

Recentemente a cidade foi palco de uma série de protestos contra a violência policial, que assim como aqui no nosso país, faz vitimas negras quase diariamente.

A série também fala de eventos que ocorreram no mundo das celebridades na vida real. Você irá se deparar com situações constrangedoras que envolvem até sósias de estrelas pop.

Se você está sem saber o que ver depois da Copa, ou enquanto não estiver rolando os jogos, vá até a sua conta da Netflix e procure por Atlanta, pode confiar.

Donald Glover é o nome da vez, e o cara é tão bom que deveria virar elogio, tipo: "Nossa você tá tão Donald Glover hoje." 

0 Comentários