Assisti No Sofá | Eu Não Sou um Homem Fácil

Vou confessar para vocês que quando vi esse filme no catalogo da Netflix ele não me chamou atenção, pensei que fosse só mais um filme sobre homens chatos e seu mundinho chato, com assunto chato. Ate que, um dia eu estava no meu twitter (@angelar0cha) e me deparei com um anuncio feito no twitter da Netflix BR sobre esse filme e foi ai que me pagaram e eu resolvi dar a chance que esse filme merece ter.

O filme francês Eu Não Sou um Homem Fácil (Je ne suis pas un Homme Facile) pode não ter o melhor título do mundo, e deve ser por esse motivo que de primeira eu deixei passar, mas certamente merece a atenção do público, tanto feminino quanto masculino. Embora pareça uma comédia machista, a trama não demora para revelar seu verdadeiro objetivo. O longa não apenas vai contra todos os princípios machistas, como também usa a comédia para distorcê-los.

Enredo: A história gira em torno de Damien (Vincent Elbaz), que um dia acorda em um mundo onde as mulheres e os homens inverteram os seus papéis na sociedade. O mundo mudou, agora são as mulheres que têm poder sobre os homens. Uma situação engraçada quando não somos avisados.


Damien é o tipo cara chato machista do seu trabalho, da sua escola, da sua rua, da sua rede social e até aquele seu amigo de infância. Além de ser um conquistador, ou se achar um super conquistador, trata as mulheres como se fossem um simples pedaço de carne, sem contar que para ele tudo que envolve uma mulher no ambiente de trabalho não é revelante. Qualquer pensamento sobre negócios que venha da cabeça de uma mulher não pode ser uma boa ideia, Damien pode até te ouvir, mas nunca seu pensamento de estrategia será tao bom quanto o dele.

Em uma caminhada pelas ruas, enquanto paquerava duas amigas do outro lado da rua, a vida resolve lhe dar uma lição. Damien bate a cabeça com forca em um poste, enquanto caminhava olhando para as duas meninas, e acorda em um mundo totalmente diferente do que vive. Onde as mulheres comandam e desmandam e os homens são os oprimidos, e ai deles se tentarem fazer algo corajoso sozinhos.  




Você já se imaginou em um mundo assim querido leitor?

De uma forma cômica e irônica, mulheres passaram a classificar os homens como sexo frágil na historia. Depilação é algo quase obrigatório ao gênero masculino, não existe romantismo entre as garotas, a fama de infantil e infiel fica por conta delas também.

Não estou te chamando de infantil, nem de infiel, já o filme...

O objetivo principal do filme é mostrar que não é fácil viver na sociedade em que vivemos. Talvez você sendo homem não entenda o que estou falando, mas pode tentar vendo o filme, apesar de que não será a mesma coisa. Talvez nunca tenha se sentido desvalorizado no ambiente de trabalho, com medo de sair com algum estilo de roupa ou até mesmo de expressar sua opinião e rirem da sua ideia. 


Imagina só perder “os privilégios” de ter nascido homem, e passar a viver no lado “desprivilegiado”. Nada de calça larga e confortável, vai usar salto e uma roupa que valorize seu copo, nem pense em sair sem passar perfume, arrumar o cabelo ou por maquiagem na cara. Mas imagine só, uma oportunidade de trabalho em troca de favores sexuais. Chocante não? Damien recebe, e um monte de garotas na vida real também.
Tu ja viu o filme, o que achou?

1 comentários

  1. Olá
    Eu vi esse filme por indicação de uma leitora do meu blog quando eu falei sobre um filme que envolvia feminismo. Ai fui lá assistir e fiquei encantada. Caramba, que filme bom. Ele não é perfeito, mas trás uma discussão tão importante que eu relevo as falhas dele numa boa.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir